Semana da Segurança do Paciente com atividades no HE

O Dia Mundial da Segurança do Paciente é celebrado em 17 de setembro e, para reforçar a importância da data, durante a semana de 16 a 19, ocorrerão diversas ações de conscientização no Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (HE UFPel). Nesse período, membros do Núcleo de Segurança do Paciente irão passar em todas as unidades para abordar o assunto com os colaboradores, incluindo a importância do uso do Aplicativo de Vigilância em Saúde e Gestão de Riscos (Vigihosp).  O objetivo é identificar e observar o que pode ser aperfeiçoado em termos de segurança, entender como funciona a administração de medicamentos, a prestação de assistência ao paciente e apoio às equipes de cuidado.

Conforme a chefe Setor de Gestão da Qualidade e Vigilância em Saúde do HE, Susana Cecagno, a partir do Vigihosp são identificadas lacunas de assistência, problemas com produtos hospitalares, equipamentos e falhas de processos assistenciais, que podem culminar em riscos e agravos para os pacientes. “A partir daí a gente consegue nortear, trocar equipamento, material, realizar capacitações específicas determinados problemas”, destacou ela, reforçando que o resultado específico dessas ações é melhorar a segurança do paciente dentro da instituição.

Vigihosp

É um aplicativo de gestão de riscos voltado para a qualidade e segurança de paciente, para notificações on-line de eventos e incidentes adversos. Essa ferramenta, que centraliza as notificações sobre incidentes ou queixas sobre fatos ocorridos nas dependências internas ou externas dos hospitais universitários, permite identificar, avaliar, analisar, tratar e monitorar os riscos, os incidentes em saúde, as queixas técnicas e as doenças e agravos de notificação compulsória. Além disso, as notificações permitem identificar falhas nos processos e correções pontuais, reduzindo, assim, os riscos ao paciente e promovendo a cultura de segurança.

“A notificação é a principal fonte de informação para a devida gestão de riscos e definição de barreiras e instrumentos destinados à prevenção de eventos semelhantes e minimização de riscos durante a prestação da assistência ao paciente em serviços de saúde”, destacou o chefe da Unidade de Segurança do Paciente, Francisco Ferrari.