Mês da Prematuridade terá programação no Hospital Escola

O mês de novembro é dedicado à sensibilização sobre o tema da prematuridade, sendo a cor roxa o símbolo internacional que representa a pauta. Tradicionalmente o Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (HE UFPel) realiza a campanha do Novembro Roxo, organizada pelas equipes da UTI Neonatal e, neste ano, ganhou reforço com a criação do Grupo de Estudos e Pesquisa de Pelotas em Neonatologia (GEPPNEO), criado em fevereiro. Foi preparada uma programação que contempla lives e publicações em redes sociais com depoimentos e dicas.
As lives ocorrerão para dois públicos: nos dias 10 e 19 as discussões serão voltadas à comunidade acadêmica e, nos dias 17 e 25 são abertas à comunidade em geral. A primeira acontece no dia 10, às 9h30, com o tema “Segurança do Paciente na Neonatologia”. Já no dia 17, às 16h30, o assunto abordado será “Cuidado ao prematuro pós-alta”. No dia 19, às 16h30, a pauta será “Cuidados neuroprotetores” e no dia 25, a live de encerramento do mês com o tema “Prematuridade: dúvidas e esclarecimentos”. Para acompanhar as lives abertas, o público deve acessar o canal do Youtube (link) do Grupo e, para as lives fechadas, é necessário realizar inscrição (link).
É considerado parto prematuro aquele que ocorre antes das 37 semanas de gestação. Segundo dados do Sistema Nacional sobre Nascidos Vivos (SINASC), em 2019 no Brasil, foram mais de 313 mil partos prematuros, o que representa cerca de 11% de todos os partos ocorridos em território nacional. Em Pelotas, de acordo com estudos da Coorte de Nascimentos, em 1982 a média de partos prematuros foi de 5,8% e, em 2015, subiu para 13,8%.
Preocupados com este cenário de cuidados aos bebês prematuros e cientes da importância de abordar os cuidados para prevenir a prematuridade, enfermeiros da UTI Neonatal do HE deram início à criação do Grupo de Estudos, junto com docentes da Faculdade de Enfermagem. O objetivo é realizar estudos e pesquisas que busquem contribuir na implementação dos cuidados neuroprotetores e segurança ao paciente neonato, além de compreender e apoiar a vivência das famílias enquanto ocorre a internação dos recém-nascidos.