Laboratório de Análises Clínicas do HE tem novo endereço

O Laboratório de Análises Clínicas e Patológicas do Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (HE UFPel) mudou de endereço. O novo prédio, que antes era ocupado pelo Ambulatório de Especialidade, passou por reformas e atualmente abriga o serviço de coleta, distribuição, hematologia, bioquímica, imunologia, parasitologia, urinálise, microbiologia e administrativa. A mudança visou a centralização, organização e segurança das atividades.
A chefe da Unidade de Laboratório de Análises Clínicas e Patológicas, Andressa Frediani, afirmou que, entre as mudanças positivas, pode-se destacar a proximidade com o hospital, que possibilita atendimento mais rápido e efetivo das demandas, bem como maior segurança para os colaboradores que transitavam entre as unidades. “Além da melhoria na estrutura física, a aproximação das equipes, que antes eram divididas, facilitou o trabalho. Outra mudança boa, foi a implantação do sistema informatizado de senhas, que tornou o serviço mais moderno e prático”, apontou.
De acordo com o Engenheiro Civil e Chefe do Setor de Infraestrutura do HE, Eduardo Albuquerque, o prédio passou por uma mudança no layout, pensada para atender exclusivamente o laboratório. Segundo ele, visando economia, o hospital executou, com mão de obra própria, toda a instalação elétrica, lógica – com auxílio do Setor de Gestão de Processos e Tecnologia da Informação (SGPTI) – e GLP. A instalação de GLP teve sua estanqueidade verificada, o que garante a segurança aos colaboradores. “Uma mudança importante na unidade foi a instalação de um sistema de renovação de ar, projetado pelo Engenheiro Mecânico do HE, Rodrigo Kuhn, atendendo os requisitos técnicos da NBR 7256”, afirmou.
A normativa diz que a vazão mínima de ar total é estipulada de forma a garantir movimentação adequada do ar ambiente e acelerar o transporte, até os filtros, dos poluentes gerados internamente. Segundo o Engenheiro de Segurança do Trabalho do HE, Felipe Camerini, a renovação de ar é de suma importância para que haja a diluição dos agentes ambientais, biológicos e químicos. “A medida é fundamental, principalmente no caso de um laboratório de análises clínicas, onde são utilizados diversos reagentes químicos para as análises e as amostras são sempre materiais de origem biológica, de pacientes de todas as unidades de internação e ambulatoriais”, finalizou.