Hospital Escola participa da terceira edição do Mutirão Ebserh Solidária

Na quinta-feira, 20 de dezembro, o Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (HE UFPel) participou do 3º Mutirão Ebserh Solidária. O objetivo dessa edição foi levar atendimento de saúde e humanização para crianças e idosos que vivem em instituições e comunidades em todo o país. Em Pelotas, o evento foi realizado no Abrigo Arco Íris e na Comunidade São Vicente de Paulo e atendeu crianças e idosas, respectivamente.

No abrigo, a odontopediatra do HE, Flávia Wendt realizou avaliação de saúde bucal das crianças fazendo o encaminhamento para consultas e tratamento, nos casos em que foi identificada necessidade. A dentista, juntamente com a técnica em saúde bucal, Caroline Kupstaitis, passou orientações para as crianças sobre escovação e demais cuidados com a saúde bucal. Além disso, a equipe de Terapia Ocupacional (TO) do HE desenvolveu diversas atividades e, em seguida, foi oferecido lanche, seguido da entrega de presentes e lembrancinhas pelo Papai Noel.

Na Comunidade São Vicente de Paulo, o foco foi a saúde muscular. A equipe de Nutrição Clínica do HE (representada pela nutricionista Patrícia Abrantes Duval, chefe da Unidade, e a estagiária Milene Bicca da Silveira), juntamente com o mastologista e chefe do setor de Gestão de Pesquisa e Inovação Tecnológica, Thiago Gonzalez Barbosa e Silva, avaliaram as idosas quanto ao risco de sarcopenia através da aplicação do escore SARC-F + CC. A avaliação incluiu perguntas referentes a quedas e ao grau de dificuldade percebido pelas idosas em desempenhar atividades específicas no dia-a-dia, além da aferição da circunferência da panturrilha. O somatório da pontuação atribuída a cada item permitiu aos colaboradores identificar quais idosas apresentavam risco aumentado de sarcopenia.

Segundo Thiago, a sarcopenia é definida como a diminuição patológica de massa e função musculares, com consequências diretas na mobilidade e na qualidade de vida do indivíduo. O envelhecimento é sua principal causa: “Sabemos que à medida que o indivíduo envelhece, naturalmente vai perdendo força muscular, bem como quantidade de músculo, e isso é natural. Porém, em algumas pessoas, essa perda é maior ou mais rápida do que o normal e, nesses casos, percebemos a presença da síndrome”, comentou.

“Aquelas que testaram negativo receberam orientações gerais, e a ideia é que elas sigam acompanhamento de saúde normalmente, com reavaliações de tempos em tempos. Nas que testaram positivo, pretendemos realizar uma avaliação mais aprofundada”, acrescentou o pesquisador. Segundo ele, o próximo passo é identificar quais das idosas de risco aumentado realmente estão doentes, através da avaliação da quantidade de musculatura, da força e do desempenho muscular. Em parceria com a equipe de Nutrição do HE, também serão realizadas orientações dietéticas afim de estimular maior ingestão proteica.

Na visita também foram desenvolvidas atividades recreativas e lúdicas pela equipe da TO, apresentação musical com Rafael Prochnow, café da tarde e entrega de presentes e lembrancinhas pelo Papai Noel. O mutirão fez parte da tradicional Festa de Natal, realizada todos os anos no local.

O mutirão

No ano de 2017, foi instituído o projeto Ebserh Solidária, que se caracteriza por levar atendimento em educação e saúde fora do ambiente hospitalar, com ações de prevenção e promoção da saúde. Na primeira edição, ocorrida em novembro de 2017, houve mais de 16 mil atendimentos a populações em situação de vulnerabilidade social, pacientes em espera na fila de regulação, moradores de comunidades com grande distância de centro urbanos, além de creches, asilos, escolas e comunidades diversas.