Encontro com a Gestão apresenta ações realizadas em 2019

Em apresentação realizada pela superintendente do Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (HE UFPel), Samanta Winck Madruga, no auditório do HE nesta segunda-feira (16), foi apresentado um panorama geral da atual situação da instituição, bem como as ações e resultados de 2019, além dos objetivos para 2020. A apresentação foi realizada nos três turnos.

Samanta iniciou sua fala destacando os princípios da gestão, os quais norteiam a política da UFPel na atual administração. São eles: aproximação, equidade, compartilhamento, descentralização, pertencimento, transparência e gratuidade. “Trabalharemos até o final da gestão com a mesma disposição de realizar as três revoluções propostas: acadêmica, institucional e nas relações pessoais”, destacou.

Segundo a superintendente, ao assumir o cargo, estava próximo o prazo para a total desvinculação da gestão feita pela Fundação de Apoio Universitário (FAU). “O maior desafio foi minimizar os impactos que essas mudanças administrativas poderiam ocasionar no ensino e na assistência. O movimento da gestão para solução dos problemas sempre foi considerando-os sobre a ótica das três dimensões: administrativa, do ensino e da assistência”, completou.

A institucionalização dos processos assistenciais também foi destaque em 2019. Conforme a superintendente, 130 Procedimentos Operacionais Padrão (POP) estão em andamento. Segundo ela, o Setor de Qualidade deve seguir transitando em todas as unidades, auxiliando na confecção dos documentos e padronização dos processos assistenciais das diferentes unidades do hospital. Ressaltou ainda a importância de todo o processo estar sendo realizado no Sistema Eletrônico de Informação (SEI), o que resulta em 100% de transparência.

A falta de algumas habilitações também foram o foco das atenções este ano. “Somos referência em Gestação de Alto Risco e não temos a habilitação formalizada. Em decorrência do trabalho realizado ao longo do ano de 2019, hoje temos as condições para ingressar com a solicitação das habilitações, que quando concretizadas, acarretarão importante impacto orçamentário”, frisou Samanta. Por diversos anos o HE não possuiu alvará de Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI) e alvará da Vigilância Sanitária. Para que isso fosse possível, o HE atendeu a todas as medidas compensatórias propostas para a regularização dos documentos como, por exemplo, a contratação de bombeiros civis 24h e porta corta fogo.

Quanto à aquisição de equipamentos, a superintendente prestou contas da utilização dos recursos de investimento a partir de uma planilha com a descrição de diversos equipamentos adquiridos ao longo do ano. “Procuramos fazer isso da forma mais transparente possível. Para isso, solicitamos a todas as chefias que coletassem nas suas unidades as demandas das equipes”, explicou. Em seguida, as solicitações foram encaminhadas para a Comissão de Aquisição de Material Permanente que elaborou uma classificação, elencando critérios como por exemplo redução de custos, necessidade assistencial e atendimento a apontamentos ou normas regulamentadoras. A comissão trabalhou ao longo do ano, priorizando os equipamentos de acordo com a pontuação de cada item e, consequentemente, empenhando recurso para a aquisição. Foram empenhados o montante de 2,9 milhões a partir das demandas recebidas pela comissão.

“A partir deste ano, a situação financeira se apresentou mais estável, com a conclusão do bloco 3 do novo hospital, possibilitando mais investimentos”, destacou Samanta. Quanto à construção dos blocos 1 e 2, já foi feito um movimento na busca de emendas parlamentares, em função da falta de recursos do Ministério da Educação e Cultura (MEC) e da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), entretanto está posta a necessidade de readequação do projeto existente. “Somos o único hospital da rede EBSERH que não possui sede própria. E vamos trabalhar para que esse importante passo seja dado”, afirmou.

Para finalizar, a superintendente destacou que em 2019 o HE teve, entre os hospitais da Rede, um dos maiores índices de satisfação por parte dos seus usuários. “As considerações dos pacientes foram sempre muito mais positivas do que negativas e isso é um motivo que nos alegra”.

A superintendente ressaltou que tudo está sendo planejado coletivamente. Ao longo de 2019 foram feitos três seminários de gestão, sendo que foram solicitadas as chefias a realização de atividades junto às suas unidades e serviços, e chamou a todos para participação de grupos, demanda de reuniões, no intuito de estimular a melhora na nossa comunicação. “A contribuição de cada um é fundamental para a instituição. Precisamos estar fortes e juntos para que todos os avanços possam se concretizar”, enfatizou.

A novidade é que será implementado, a partir de 2020, o projeto “gestão de valores” que trata da instituição como organismo vivo e que amplia o olhar sobre as pessoas que compõem a nossa instituição. “Focaremos na gestão de valores e os nossos valores são vocês!”, finalizou.